Tag Archives: hitler

O seguro só morre de velho porque não é director do BPN

bpn-11Assaltos, tiroteios, violência gratuita, morte… O mundo, outrora maravilhoso e cheio de esperança, é hoje em dia um local escuro, frio e inseguro. O perigo espreita a cada esquina e mesmo o mais corajoso dos homens não consegue evitar sentir medo. Isto, claro está, se esse homem não tiver sido administrador ou director do BPN.

Pois é, se durante a Guerra Fria o lugar mais seguro para se estar era um bunker, hoje em dia nada bate o BPN. O BPN é o bunker do séc. XXI! O BPN protege mais que um colete de kevlar. Nem sei para que é que andámos a comprar submarinos ou para que é que gastamos milhares de euros em armamento para o nosso exército. Bastava dar aos nossos militares um cartão de director do BPN e uma foto do Dias Loureiro de sunga e panamá, esparramado numa praia qualquer da Ilha do Sal, para eles se safarem incólumes de qualquer conflito.

O BPN é tão seguro que a Control já está a fabricar um lote de preservativos com a cara do Oliveira e Costa. Segundooliveira_costa_PAGINA consta é uma tecnologia inovadora que te permite ejacular dentro de uma portuguesa, mas o esperma é instantaneamente transportado para o útero de uma habitante das Ilhas Caimão.

Aliás, se em vez de mergulhar o Aquiles nas águas do Estige, a Tétis tem usado os seus contactos para o meter como Presidente do Conselho Superior da SLN, não só o cerco a Tróia não tinha demorado 10 anos, como hoje, muito provavelmente, ele seria ministro e acompanhante do Poiares Maduro nos afters do Finalmente. Lá está, já na Antiguidade os gregos só faziam asneiras.

loureiroMas o BPN não é só segurança, não senhor. O BPN é também magia. Sim, leram bem: magia! O BPN é o Houdini dos bancos. É que para além de fazer desaparecer dinheiro, também consegue desaparecer de currículos! Olhem lá para os do Franquelim e do Machete. É mais fácil encontrar o Rui Pedro, a Maddie ou o Bruma do que uma referência ao BPN/SLN nos seus CVs. Impressionante… Isto já para não falar das fugas espectaculares do Amazing Loureiro e do Spectacular Mr. Silva…

E é por isto é que eu vos digo, meus amigos, o azar do Hitler foi não ter estado metido no BPN. O do Hitler e o do Portas, que assim é muito mais difícil comer salsicha de Frankfurt logo ao pequeno-almoço.

salsicha2

Anúncios

Saca o Hitler.

Num mundo repleto de redes sociais e talk shows, é cada vez mais frequente vermo-nos metidos numa discussão que estamos claramente a perder e não fazemos a mínima ideia de como sair por cima.

Para essas ocasiões, dou-te um conselho: saca o Hitler.

Hitler é o melhor argumento para venceres uma discussão.

Por exemplo, supõe que és um político a debater na televisão e o teu opositor está a defender o fortalecimento do estado social. Argumentos sólidos, considerações bem fundamentadas, até tu já estás a concordar com ele. O problema é que o gajo é de outro partido e a última coisa que queres é concordar com ele.

Não há crise. Saca o Hitler. Assim:

“Pois, mas não nos podemos esquecer que uma das primeiras medidas do Hitler quando subiu ao poder foi justamente fortalecer o estado social”.

Touché. Depois disso o gajo desaparece no debate. Quando chega a casa o cão morde-o e a mulher rosna, “Vai mas é tu esquentar o jantar!”.

Usar o Hitler para desqualificar o discurso de uma pessoa é tão fácil quanto desenhar um quadradinho preto por baixo do nariz de alguém. É um verdadeiro canivete suíço da retórica, útil nos mais variados tipos de discussão.

Se um tens um amigo vegan que te anda a consumir com aquela conversa de “Sabes quantos dias o organismo leva a digerir um bife?”, saca o Hitler:

“Chiça, sabes quem é que também era vegetariano? O Hitler.”

Depois disso o gajo nunca mais consegue comer uma alface sem pensar na pobre Anne Frank em Auschwitz e perder completamente o apetite.

Se a tua mulher quer porque quer ir à ópera no dia em que há bola na televisão, saca o Hitler:

“Sempre ouvi dizer que o Hitler adorava óperas”.

A tua mulher vai mudar de ideias e ainda te serve umas cervejas geladas durante o jogo, para se redimir.

Se estás a fumar e um colega começa com a lengalenga de que faz mal para a saúde, ai o cancro, ai o fumo passivo, saca o Hitler:

“Pareces o Hitler, que também odiava cigarros.”

A partir daí podes até dar uma baforada na cara do teu colega que ele não vai ter coragem de dizer nada.

É uma arma letal da argumentação. Em qualquer discussão, basta aguentares-te até que o rumo da conversa propicie a entrada triunfal do führer e pronto. Ganhaste a batalha.

Hitler tinha apenas um testículo e devia ser mesmo traumatizado com isso. Só porque não tinha uma bolinha que cabe na palma da mão, o coisa ruim queria ser o dono de uma bola chamada Terra. Mas tudo tem o seu lado bom. Até mesmo o Hitler, sempre às tuas ordens para te ajudar a encerrar uma discussão com a sutileza de uma bomba V2.


%d bloggers like this: