Tag Archives: Cavaco

Lisboa desonesta?!

soutienPois é, parece que Lisboa foi considerada a cidade mais desonesta do mundo. Não digo que não seja, até porque é cá que está a Assembleia da República, a sede do BPN e o maior número de gajas com soutiens push up, mas o que levou a Reader’s Digest a chegar a essa conclusão é que me está a chatear.

Segundo a Reader’s Digest, Lisboa é a cidade mais desonesta porque das 12 carteiras deixadas pelos seus repórteres em locais públicos, só uma foi devolvida e por um casal de turistas holandês. Ora isto, meus amigos, é uma injustiça! As carteiras não foram devolvidas porque os lisboetas são desonestos, as carteiras não foram devolvidas porque já quase nenhum português sabe o que é uma carteira! Isto é a mesma coisa que deixar gel de banho no Andanças! O pessoal olha, fica curioso, não sabe o que é e acaba por fugir com medo. Se há coisa que toda a gente sabe é que não se mexe naquilo que não se conhece! Sabe-se lá se aquilo é venenoso, ou se morde, ou pior, se é umcarteira produto financeiro “seguro” do BCP!

Além disso, os repórteres ainda deixaram as carteiras com dinheiro. 37 euros! Então querem o quê, milagres?! Quem é que, hoje em dia, apanha dinheiro na rua? E depois, passa-se factura a quem? E o IVA? E o IRS? Hoje em dia ter dinheiro na mão é ter o Passos a aparecer de trás dos cortinados, acompanhado do Cavaco vestido de Nosferatu, à noite, enquanto estás a dormir e a sonhar com os tempos em que comias dois pães com banha de porco como um rei, ao almoço. Quer dizer, dinheiro, mas pouco, que se for muito o Passos aparece mas é de dia, para te arranjar um negócio com o estado ou para saber se pode ir passar férias à tua casa em Cabo Verde.

Por isso digo: Lisboa pode ser desonesta, que é, mas não é mais desonesta que este estudo da  Reader’s Digest. Se querem catalogar Lisboa como a cidade mais desonesta do mundo, façam-no, mas comecem onde realmente interessa: nos que nos põem tão pobres, famintos e desesperados ao ponto de 37 euros comprarem a nossa integridade.

ar

Anúncios

Uma vida toda de mãos dadas

charuto_dannemann_whisky_dalmore1“A vida é feita de pequenos prazeres”. Não sei quem é o autor da célebre frase, mas tem razão. E se há coisa certa no mundo é que muitos desses pequenos prazeres andam de mãos dadas com outros.  Um bom queijo sabe melhor com um bom vinho tinto, um bom charuto é o companheiro ideal de um bom whisky e o sexo oral é muito melhor quando é feito entre duas pessoas. E também menos propenso a lesões na coluna. Infelizmente, também as coisas más insistem em andar aos pares, como o racismo e a ignorância, a crise e o desemprego, a polícia e a detenção do meu dealer… No entanto, há uma coisa que, por mais voltas que dê à cabeça, ainda não consigo definir se é um pequeno prazer ou uma coisa má, a relação amorosa entre o PSD e a Igreja!

Há já muitos anos que a Igreja e o PSD jantam à luz de velas e têm relações sem preservativo. Se é certo que muitos dosjardim filhos desta relação nasceram com algumas deficiências, principalmente de carácter, é também certo que já me proporcionaram muitas horas de riso e-sinceramente- ajudaram-me bastante no meu trabalho. Cavaco e a Nossa Senhora, o chumbo do PSD às audições de Jardim Gonçalves e Teixeira Pinto sobre a fraude BCP, o milagre do desaparecimento dos documentos das SWAPS… Com o PSD e a Igreja juntos, nunca me faltou material para escrever.

Mas não sou só eu que lucro com esta relação, os próprios envolvidos também. E por isso é que às vezes fico a pensar que este pode ser um casamento mais por interesse do que por amor. Por exemplo, sempre que o PSD está em baixo e abatido, sabe que pode contar com a Igreja para entrar numa missa e ser mais aplaudido que o Jorge Jesus no Porto. Sempre que 12-FERNANDO-RUAS-02-GMMestá atrás nas sondagens ou com medo das eleições, o PSD sabe que pode utilizar as instalações da Igreja para distribuir cheques pelos eleitores e, se o candidato não estiver afónico, até pode dar umas palavrinhas durante a eucaristia. Em troca, a Igreja pode enviar os seus primos da Opus Dei para o PSD e este garante-lhes emprego, comida e cassetes com o Paulo Rangel a falar para se poderem penitenciar à vontade. E isto é mau porque mata o sonho do amor romântico, como o amor entre o Romeu e a Julieta, ou entre o Portas e o poder.

Resta-me esperar que um dia consiga descortinar se este par é uma coisa má ou um dos pequenos prazeres do mundo. O que certo é que funcionam muito bem juntos, assim como é certo que terei muito tempo para chegar a uma conclusão. Sim, porque a Igreja e o PSD são como a SIDA e o funk brasileiro: inseparáveis!

funk


It’s alive!

Cavaco-SilvaGoverno de Salvação Nacional, consenso entre os três partidos que assinaram o memorando e uma viagem a Cabo Verde, eis os desejos de Cavaco Silva para 2013.

Pois é, ontem o nosso Presidente deixou a sua cripta e veio falar à nação, mas só porque conseguiu marcar a conferência para a hora do telejornal, que é coisa que ele não vê. Fosse à hora da novela e tinha ficado em casa de robe, pantufas e fralda já posta.

E o que disse o Cavaco? Sinceramente, não sei. Emprestei o meu dicionário de Latim-Português ao meu irmão e não consegui traduzir tudo. Mas daquilo que percebi, o nosso excelso Presidente aproveitou a oportunidade para: dar um tiro no Coelho, mandar o submarino do Portas ao fundo e assegurar-se de que o Seguro se deitaria inseguro.

Sim, ao contrário do que todos pensávamos, o Sr. Silva está vivo e com uma declaração conseguiu entalar os 3 líderes dos 3 maiores partidos do país e reduzir à insignificância os outros 3 com assento parlamentar.  Cavaco não aceitou este “novo” governo, mostrando a Portas que nem sempre as mulheres conseguem tudo o que querem com os seus jogos mentais; afirmou que o governo não vai chegar ao fim do mandato, mostrando ao Passos que por mais que ossorriso-de-vaca pais amem os filhos, chega a um ponto em que têm de parar de lhes pagar a fiança e de os ir buscar à esquadra; e meteu o Seguro entre a espada e a parede, prometendo eleições antecipadas, mas não agora, só daqui a um ano e desde que ele aceite um compromisso com CDS e o PSD que faça o PS cair a pique na opinião pública. Nada mau para alguém que há pouco tempo falava no sorriso das vacas e em sinais da Nossa Senhora.

Aliás, eu começo a pensar que o Sr. Silva é mais esperto do que julgamos. Eu vou passar a vê-lo com outra atenção. É que agora não sei se ele não é aquele avô que se faz de tolo e surdo para ouvir o que toda a gente diz e saber quem tira do testamento.

E digo “não sei” porque, apesar de tudo, ainda vejo no nosso Presidente alguns tiques de demência. Tudo bem que a jogada política é boa, mas falar num governo de salvação nacional com Portas, Passos e Seguro é coisa que só se ouve às 4 da manhã, num beco, e gritado por um sem-abrigo que, de seguida, diz que se chama Napoleão e que o Polifemo lhe barrou os sapatos com papas de aveia. Um governo de salvação nacional com Portas, Passos e Seguro é como meter os Three Stooges a protagonizarem o “Desaparecido em Combate”.

The-Human-Centipede.avi_snapshot_00.30.28_2010.06.01_19.55.00Além disso, Cavaco diz que é preciso uma figura consensual em Portugal para fazer a ligação entre partidos! Enfim… Uma figura consensual… Para fazer a ligação entre partidos não é preciso uma figura consensual, Aníbal, é preciso é uma empresa grande o suficiente para empregar gente desses 3 partidos. Ou então alguém que goste do “The Human Centipede”… E depois, consensual em Portugal, neste momento, só mesmo o rabo da Carolina Torres. No entanto, tenho a certeza que hoje de manhã, quando acordou, o Cavaco tinha à sua espera um ramo de flores e uma caixa de vinhos enviada pelo José Gomes Ferreira…

No meio disto tudo, ainda não se sabe bem o que se vai passar. Aliás, neste momento só tenho certeza de uma coisa: já nenhum pai quer que o seu filho seja médico. Hoje em dia, toda a gente sabe que a profissão com mais saída em Portugal é Comentador Político.

comentadores


Cavaco, o Lavrador

CavacoNo meio deste mundo louco e em constante mudança, há poucas coisas com que podemos contar. Na realidade, a morte é a única coisa certa que temos, a morte e as gargalhadas que se seguem após uma intervenção publica do Cavaco.

Pois é, o Cavaco voltou a falar no dia em que foi plantar uma árvore ao jardim botânico em Lisboa e foi maravilhoso! E foi maravilhoso porquê? Primeiro porque não é todos os dias que vemos uma árvore a ser plantada por um vegetal, depois porque o Cavaco voltou a falar e demonstrou que afinal os tempos que passou desaparecido no meio dos corredores de Belém não eram assim tão maus.

Mais uma vez, o nosso Presidente falou do seu apego à terra e do quanto admira os nossos agricultores. É bonito. Bonito para qualquer psiquiatra ou psicólogo, pois raramente devem conseguir observar com tanta clareza a progressão da doença de Alzheimer numa pessoa. Cavaco admira hoje os agricultores, os mesmos agricultores a quem ele pagou para deixarem de o ser. Vendo bem as coisas, este é um traço comum da personalidade do Sr. Silva, pois também admira a democracia, mas anda há anos a ver se consegue que ela acabe. No entanto, eu acho bem que o Cavaco admire os agricultores, até porque sobreviver da terra depois das políticas agrícolas do antigo governo do Aníbal é quase tão difícil como sobreviver em Auschwitz sendo um judeu homossexual, negro e comunista.

Mas as declarações do nosso Presidente não acabam aqui. Parece que para o Cavaco, o que faz falta a Portugal é trabalho, criatividade e bom senso. Em certa medida, concordo. É realmente preciso muita criatividade para se conseguir viver só do trabalho no nosso país, por isso é que os menos criativos, como o Sr. Silva, por vezes têm de recorrer a coisas mais cinzentas e pouco imaginativas, como fraudes bancárias, burlas e viagens para Cabo Verde. Curiosamente, Cavaco não disse que o fim da corrupção, do compadrio, da impunidade e dos erros nos orçamentos e previsões também faziam falta ao país. Mas pronto, se calhar também estou a ser picuinhas. Às vezes tenho esta coisa de pensar que temos direito à justiça e à dignidade.

Mas se as declarações do Cavaco foram fantásticas, a cerimónia não lhe ficou atrás, a começar logo pelo erro na placa colocada a celebrar o facto de o Aníbal ter plantado uma árvore. Pois é, Jorge Braga de Macedo, antigo Ministro das Finanças do Sr. Silva, mandou gravar uma placa, mas atrapalhou-se e meteu o Cavaco como 19º, em vez de 18º Presidente da República. Pelos vistos é tradição os Ministros das Finanças do PSD enganaram-se nos números.

Agora, a coisa que mais me espantou em tudo isto foi ver finalmente um político a dizer a verdade à frente das câmaras. Mesmo antes de plantar a árvore, Cavaco confessou que já abriu dezenas de buracos. Basta ver o estado em que Portugal está para percebermos que, pelo menos aí, ele foi sincero.


Teste do Puto Empreendedor

OBJETIVO: Substituir, para cada CASO, os espaços em branco da SITUAÇÃO e da VOSSA REAÇÃO pelo par de personagens.

Personagens do CASO 1

Image
“Doutora”
“Puto empreendedor”

Personagens do CASO 2

Image

“Ministro”

“Sindicalista”

SITUAÇÃO

O(A) __________ diz que o ordenado mínimo não é suficiente para as pessoas sobreviverem. O __________ responde que mais vale isso que estar desempregado.

VOSSA REAÇÃO
O/A __________ é arrogante! O(A) __________ tem garra e disse-lhe das boas!

 

RESULTADOS

Se colocaram sempre a “Doutora” no mesmo lugar que o “Sindicalista”:
Não tenho muito para vos dizer. Estejam certos ou sejam só casmurros, pelo menos a coerência ninguém vos tira.

Se, na situação, colocaram a “Doutora” no mesmo espaço que o “Sindicalista”, mas na reação colocaram-na no sítio do “Ministro”:
– Vale a pena defender uma mensagem em função do mensageiro?

– Se o Cavaco substituir o Governo pela Associação de Estudantes da Escola Secundária de Ranholas, passamos a bater palmas a tudo o que os putos dizem?

– Qual é a idade legal para deixarmos de ser um “puto empreendedor” e passarmos a ser um “patrão explorador”?


A culpa é tua, Tribunal Constitucional!

Meus amigos, vamos deixar-nos de rodeios, piadinhas ou figuras de estilo: Portugal voltou ao fosso!

Pois é, quando tudo parecia que estava a ir bem, com a dívida pública a subir na ordem dos 4 milhões de euros por hora para números superiores a 117% do PIB, com o desemprego já perto dos 20%, com a segunda maior recessão da nossa história recente, tudo obra deste egrégio governo, levamos com uma machadada destas que nos empurra novamente para o buraco! Do que é que eu estou a falar? Ora, do chumbo do Orçamento de Estado pelo Tribunal Constitucional, suéciaobviamente! Não se faz!

E porque é que o Tribunal Constitucional, esse sacana, chumbou o Orçamento de Estado? Apenas porque este era inconstitucional, imaginem! Vejam lá ao que isto chegou… Então mas desde quando é que se proíbem coisas apenas por serem ilegais neste país? Estamos na Suécia ou quê?! Isto realmente…

E a culpa é de quem? De quem votou no Tribunal Constitucional nas eleições! Desse povinho que se deixou iludir pelasfernando-rodrigues promessas da campanha dos juízes, pelos cartazes bonitos, pelas canções entoadas nas arruadas e pelos comícios e declarações públicas do pessoal de toga! E o resultado é este, termos um Tribunal Constitucional que nos governa ao Deus dará, que falha todas as previsões económicas, que não ouve as manifestações do povo, que insiste na austeridade cega e que, suspeito, também está por trás do regresso do pai da Fanny à televisão!

O que nos vale é que ainda temos o governo para fazer oposição a esta corja que insiste que se cumpra a Lei. E a Europa durãoapoia este governo! Ainda hoje Durão Barroso- um dos maiores exemplos de patriotismo, um homem que deu tudo o que tinha ao país e que sempre fez questão de assumir as suas responsabilidades para com o povo- veio apoiar Passos e dizer que qualquer afastamento do programa arruína todos os esforços já feitos, independentemente do plano estar ou não de acordo com aquele amontoado de tolices que é a Constituição da República, um documento tão mau que nem sequer dá para filtros. E tem toda a razão!

Aliás, qualquer pessoa sabe que fazer um acordo, não ter dinheiro para o cumprir e cometer ilegalidades para arranjar odrogado dinheiro em falta não faz mal nenhum. Temos toda uma história mundial que o prova… E também as celas de Vale de Judeus e as clínicas de desintoxicação.

E a que é que este chumbo do Orçamento de Estado vai levar? Vai levar a que o governo, esse desgraçado, tenha de despedir funcionários públicos! Já viram isto?! Despedir funcionários públicos, uma coisa que nunca tinha passado pela cabeça do Passos e que nem estava já programada. E quem diz que o governo já andava a pensar no assunto é porque não vive nesta realidade! Oi… Desculpem-me, tenho só de ir mudar a areia ao meu unicórnio. É pouco tempo, só 5 warps…. Já voltei!

E pronto, com isto tudo estamos cada vez mais perto de termos de pedir um segundo resgate à UE e de lixar o Passos. Sim, leram bem, de lixar o Passos, coitado, que não tem culpa nenhuma do estado da nação! Aliás, se há coisa que todos sabemos é que o primeiro resgate foi culpa exclusiva do Sócrates e que o segundo, muito provavelmente, será culpa do
tecnoformaTribunal Constitucional. O PSD, esse desgraçado, afinal é aquele amigo que não vai à festa mas que depois ajuda a limpar. E o pior é que ninguém lhes dá valor, só mesmo aqueles 1454 “especialistas” com menos de 29 anos a ganhar mais de 5000€ por mês, ou o pessoal da Tecnoforma, ou os colegas de curso da Assunção Cristas, ou o Silva Carvalho, ou o António Borges e a sua empresa, ou a Vera Pereira, ou a irmã da Paula Teixeira da Cruz, ou mais meio milhar de “amigos”. E isso começa a notar-se. O governo de oposição aos ditadores do Tribunal Constitucional está a ficar cansado e farto de não lhe darem valor e já começa a dar sinais de desistência, o que pode levar a uma intervenção do nosso presidente e a (mais) um governo de iniciativa presidencial. E tendo em conta que foi o Cavaco que nomeou o Dias Loureiro, o Duarte Lima, que convidou o João Rendeiro para a sua comissão de honra e que segura o Passos com mais força do que o Zé Águas segurou a Taça dos Campeões de 1961, corremos o risco de ele ainda tentar ressuscitar o Calígula ou o Nero… E de sobrenatural percebe ele!

mummy (1)


Cavaco, o comediante.

Ora então o nosso jovial Presidente da República (há quem me garanta que ele sorriu duas vezes em 1969 e uma na final do programa “Os Grandes Portugueses”) decidiu enveredar pela comédia, ãh? Está boa…

 Bem, sinceramente, não me espanta muito. Há anos que eu estava à espera disto, mais precisamente desde aquela gag que ele fez com os Cantos d’ “Os Lusíadas”. Muito bem metida essa piada na altura. Aliás, o timing foi tão perfeito que, confesso, fiquei com inveja. Mesmo aquela cena de humor físico com o Bolo-Rei, apesar de ter ali influências bem visíveis de Chaplin e Chevy Chase, estava muito bem feita. No entanto, tenho de dizer que muitas vezes o nosso Presidente também manda algumas ao lado. Por exemplo, aquela prank do BPN foi claramente um fiasco. Tanta coisa, tanto hype e depois vai-se a ver e fica tudo na mesma. É que ninguém do conselho directivo se aleija, não há um único dos executivos a vomitar… nada. Assim, antes Jackass!

Mas analisando o mais recente set de stand up comedy do nosso jogral favorito, o hilariante Cavaco, chega-se à conclusão que, apesar de andar a testar material há 27 anos, o número ainda não está maduro para se aguentar sozinho.

Sim, tem grandes beats como “espero que a Caixa Geral de Depósitos nos ofereça um jantar que seja condizente com os tempos que vivemos e eu não possa ser acusado de estar aqui por uma qualquer guloseima”, ou mesmo “Se forem inquiridos digam que eu estive aqui mas não disse absolutamente nada, e que eu me comprometo a não colocar qualquer post sobre o assunto na minha página do Facebook”, mas depois há outras partes que estão bastante abaixo, como por exemplo: “Todos sabem que o silêncio do Presidente da República é de ouro, hoje a cotação do ouro foi 1730 dólares por onça, uma onça são 31 gramas, mais 1,7% do que a cotação do ouro naquele dia de Setembro em que a generalidade dos portugueses ficou a saber o significado da conjugação de três letras do alfabeto português: “tê, ésse, u”. Ora, isto aqui é recorrer ao trocadilho fácil sem qualquer necessidade. Estávamos a ir tão bem, com ironia bem metida e algum absurdismo Izzardiano e, de repente, damos por nós numa série do Camilo e quase que ouvimos o Cavaco a gritar “Lá fora está-se pior. Ai ‘tá-se, ‘tá-se… Tááááá-se!”. Não pode ser! É aqui que ele falha e é nestas alturas que havia de aparecer alguém para o corrigir.

O estranho é que ele está rodeado de tantos profissionais. Será que não há ninguém que o avise?! É que sem se afastar muito, tem ali o Passos, que escreveu alguns dos melhores sets de comédia de sempre, como aquele da “Fenomenologia do Ser” do Sartre, ou o da TSU, ou aquele dos “piegas”, ou aquele da fraude eleitoral dentro do seu próprio partido, ou aquele dos processos por irregularidades fiscais, ou aquele (o meu favorito) musical que termina com o hilariante “eu sei que é psicológico”. Mas se não quiser o Passos, tem ainda ali ao lado o Relvas, conhecido pelo seu especial de uma hora “A minha licenciatura aterrou num aeródromo”, ou a Paula Teixeira da Cruz, conhecida pelo bordão “Acabou-se a impunidade… oh! Enganei-me… Queria dizer, eu nunca digo a verdade!”, ou mesmo uma Manuela Ferreira Leite, a autora do genial “6 meses sem democracia para vermos as pIquenas empresas a crescer”. A única explicação para não haver quem o ajude com os textos é o pessoal ainda não ter perdoado a prank das escutas. E aí, tenho de dizer que as pessoas têm razão. É que uma coisa são partidas bem feitas e com boas premissas, outra é tentar convencer o pessoal que ainda há alguém no mundo interessado em escutar o que o Cavaco e a Maria têm a dizer.


Orçamento de Estado Aristocrata – 12 medidas para salvar Portugal

 

 

1. Tarifa de eletricidade aumenta:

a) 30% para católicos. Quem aguenta o 13 de Maio a velinhas aguenta o resto do ano;

b) 60% para a malta dos festivais de Verão. E não digam “Vergonha! E o dinheiro que a gente gasta em banhos e máquinas da roupa?” Não enganem as pessoas.

 

2. Imposto Único de Circulação sobe 30% para quem possua veículos de cor azul cueca, CD’s pendurados no retrovisor e autocolantes ofensivos, como “Se buzinas na fila, é porque à noite queres pila”.

 

3. Os gémeos siameses passam a pagar IRS e IRC até decidirmos se são uma entidade singular ou coletiva.

 

4. Legalização da prostituição em casas com alvará do Ministério da Saúde. Estimula a economia, a saúde pública e o clítoris alheio. As restantes prostitutas serão taxadas a 40% em sede de IAB – Imposto sobre Atividades Bardajonas.

 

5. Somos sensíveis ao aumento do IVA na restauração, pelo que o subsídio de refeição da Função Pública será aumentado em 1 euro por dia.

Simultaneamente vamos criar o Imposto sobre Refeições no valor de 1 euro por dia.

 

6. As rendas serão taxadas apenas a 25%, desde que sejam feitas em tricô.

 

7. Todas as campas nos cemitérios passam a pagar IMI. Ficam isentas as que se prove não serem para habitação permanente.
Por outro lado, benefícios fiscais em sede de IRS para quem permitir que o seu familiar seja cremado por pirómanos. Poupa-se no território e mantém-se os gaiatos distraídos, reduzindo o risco de incêndios.

 

8. Os maçons não beneficiarão de mais deduções no IRS, apesar serem gente que tem muitos irmãos a cargo. Contamos com o vosso sacrifício.

 

9. Introdução da “caixinha da peixeirada” na AR. Cada deputado que se desviar do tema para gritar, ofender ou promover a laracha será penalizado em 50 euros, o que fará com que muitos deputados passem a pagar para trabalhar.

Mantêm-se as refeições exóticas na Assembleia, pois entregaremos o catering a uma família chinesa. Baixam-se consideravelmente os custos e elimina-se o excesso de gatos, cães e pombos da cidade de Lisboa.

 

10. Aumento do tabaco para 20€ por maço, de modo a promover a equidade entre quem dá 1 euro aos arrumadores de carros e quem diz “Ah, só tenho um cigarrinho”.

 

11. Introdução de novo imposto sobre quem evidencie sinais de riqueza, como posse de bens de luxo, uso de casaquinhos com cotoveleiras ou aqueles feiosos gordos que depois andam com gajas para lá de boas.

 

12. Reformados podem escolher entre corte da reforma em 40% ou corte da perna esquerda para receberem pensão de invalidez, o que for mais benéfico para o cidadão. Porque este OE é feito para ajudar o cidadão.


Toni reage à conferência de Passos Coelho

O Cláudio Almeida teve acesso, em primeira mão, à reação de Toni às medidas de austeridade do Governo.

Toni falou em português claro e objetivo, pelo que achamos que nenhum ministro vai perceber nada do que ele disse. É pena.


Adeus, abismo!

Meus amigos, estamos em festa! Esqueçam todas as tristezas e todas as preocupações pois, segundo o nosso governo, já não estamos perante o abismo. Isto merece mesmo uma comemoração de arromba, afinal não é todos os dias que um país que apresenta uma taxa de desemprego record, um PIB em decréscimo, uma classe média em extinção, um índice de pobreza que aumenta diariamente e que levou a um aumento nos assaltos a residências na ordem dos 360%, PME’s a entrarem em falência ao ritmo de uma polka tocada por viciados em cocaína depois de beberem 3 Red Bull’s, fica a saber que afinal “tudo vai pelo melhor”.

Agora sim, é que a coisa vai. Bem tinha dito o Cavaco, há uns tempos, que íamos sair da crise mais rápido do que estávamos à espera. Com este anuncio do governo até ficámos a perceber o porquê de o estado não ter problemas em receber de empréstimo da troika mais 4 mil milhões de euros, com um juro a roçar os 5%, e emprestar 5 mil milhões a 3 bancos que, desde Dezembro, tiveram empréstimos a 3 anos com um juro de 1%, mas que nem por isso ajudaram a levantar a economia, aumentando o crédito para as PME’s, que poderiam criar postos de trabalho para os 36.3% de jovens desempregados. É que o estado agora pode. Já estamos a sair da crise! Champagne para toda a gente! E também um aumento no salário do António Borges, que agora já podemos e ele, coitadinho, bem que precisa.

E já que estamos todos bem outra vez, acabem lá com as críticas aos gastos da nossa Selecção no Euro 2012. A Selecção de Espanha, campeã em título, vai gastar só 4700 euros por dia enquanto nós vamos gastar 33174 porque eles estão a caminhar para a crise, ao passo que nós já nem vemos o abismo. E depois, os nossos jogadores, para além de massagistas e preparadores físicos, também precisam de levar as cabeleireiras, um tradutor de português para perceberem o que diz o Paulo Bento e alguém que explique ao Postiga o que é uma baliza, o que aumenta os gastos.

Mas, no meio disto tudo, o que é importante reter é que “os portugueses já não estão perante o abismo”, o que é uma grande verdade, pois em altura de Euro e contagiado pela loucura futebolística, Passos Coelho decidiu seguir os ensinamentos do João Pinto e obrigou Portugal a dar um passo em frente.


%d bloggers like this: