Facebook para Labregos

Caro leitor, bem vindo a “Facebook para Labregos”, o manual que contém tudo o que sempre quis saber sobre o mundo do Facebook e teve sempre vergonha de perguntar. Primeira dica: não use a expressão “Face” ou “viste o meu post no Face”, porque é profundamente irritante.

ROTINAS E PADRÕES

 O leitor vai verificar que o Facebook funciona por modas e padrões, sendo um caso recorrente o culto do fim de semana. Vai verificar uma chuva de posts iguais à segunda, todos com um cão, felino ou bebé a dizer que detesta as segundas feiras e/ou que antes queria estar na cama. Às terças e quartas o mesmo animal/cachopo passa a lamentar-se pelo quanto ainda falta para o fim de semana. Já às quintas a temática abordada passa pelo pouco que falta para sexta e, por sua vez,  à sexta feira, aparece o vídeo do Boss AC no meio da incontornável floresta de bebés, gatinhos e cãezinhos maravilhados com a perspectiva do Sábado. Sábado não acontece nada, para domingo ser retomada a ordem natural das coisas, com a ladainha “Oh estou tão triste, amanhã já é segunda e eu não quero”.

No entanto, em relação aos posts padronizados, deve ter em consideração que se escrever todos os dias coisas banais como “Bom dia alegria!” não deve esperar uma receptividade desmesurada, pois à quinquagésima ocorrência uma pessoa começa a cansar-se de comentar.

O USO DO “LIKE” (OU “GOSTO”)

Este é um dos erros mais frequentemente cometido por principiantes, o facto de não respeitarem qualquer critério na atribuição de “likes”. Segue-se um exemplo que permite demonstrar a magnitude do problema:

Como regra de bom senso, se a pessoa vem a chorar a dizer que foi multada, levou um chuto do namorado ou acabou de descobrir que tem cancro, é de mau tom aplicar um “Gosto”. Se tiver esta regra em atenção, não terá grandes problemas.

ESTOU TRISTE…

Quando uma mulher posta qualquer coisa a simbolizar que está triste (e digo mulher, porque tal como o uso da expressão “LOLADA!!”, este tipo de post é absolutamente vedado a homens) aqui a regra é questionar “Que foi, miga?”, respeitando estas palavras exactas. O leitor vai verificar que na maior parte dos casos a pessoa responde que não lhe apetece falar com ninguém, pelo que naturalmente há que respeitar o seu espaço e privacidade. Afinal de contas, lá por partilhar o seu estado de espírito na Internet, isso não quer dizer nada.

HORÓSCOPOS

As senhoras subscrevem horóscopos diários no Facebook pois duvidam da seriedade do conteúdo de outras publicações que consultam diariamente, como dezenas de jornais, revistas ou outros sites. Ou pelo menos, é a única explicação que eu encontro.

IMAGENS SENTIMENTAIS/MOTIVACIONAIS

O sexo feminino  propaga com ardor imagens e mensagens de páginas motivacionais, páginas essas cujo nome passa sempre por qualquer coisa como “Sentimento”, “Sentimentos”, “Sentimentos Sentimentais” ou “Sentimentos Sentidos”. Basicamente, tudo o que gravite à volta do planeta dor de corno. Ao ver uma frase feita sobre coisas do coração ou amizade, a mulher comenta invariavelmente “Ai, ai, isto é tão verdade…” apressando-se a partilhar com a velocidade de quem corre para casa por se ter esquecido do gás aceso. Outra aplicação popular entre as senhoras consiste numa avaliação séria da sua personalidade através das letras do seu nome. No entanto,  conforme ilustra o exemplo em baixo, este tipo de aplicativos pode gerar alguns dissabores:

REGRAS PARA A FOTO DE PERFIL

A escolha da foto de perfil é importante, pois define o que vão pensar de si, pelo que exige algum planeamento. Em relação às senhoras, o caso é particularmente delicado. Se colocar uma foto que mostra apenas a sua cara, as pessoas vão naturalmente pensar “Olha, esta coitada não deve ter mamas…”. Por outro lado, se exibir um generoso decote a fazer  render o que Deus (ou a Ciência) lhe deu, dificilmente se escapará do rótulo “Putéfia de 10 euros”. Sugestão: ponha um pôr do sol, que é difícil alguém conseguir implicar.

Ainda em relação às mamas, devo advertir o leitor para um erro de avaliação frequente: a aplicação “Melhor Par”, ao contrário do que o nome sugere, tem a ver com a suposta compatibilidade entre pessoas, e não com o rating de prateleiras.

 Regra fundamental: é importante mudar de foto de perfil seis vezes ao dia, pois de outra forma as pessoas nunca perceberiam que é esquizofrénica.

GOSTOS NÃO SE DEVEM DISCUTIR

Há que ter algum cuidado com a demonstração de desagrado face às preferências da pessoa que partilha música. Mesmo que não aprecie, é pouco polido tecer comentários como “O quê??!! Não me digas que gostas dessa merda???!”. Deve evitá-lo, sob pena de a pessoa lhe guardar algum rancor.

ESTADO DA RELAÇÃO

É absolutamente obrigatório alterar o “estado relacional” de cada vez que ocorrer um arrufo com  o namorado, marido ou fuck buddy. As pessoas precisam de saber, sob pena de sentirem que as está a excluir da sua vida.

ESCONDER VS BLOQUEIO

Não se preocupe, é possível esconder as palermices que os seus amigos mais próximos ou familiares publicam, evitando assim recorrer ao acto dramático do bloqueio. Se a pessoa perguntar “Então, viste o meu post sobre xyz?”, a resposta a dar deve ser profundamente vaga, mas simultaneamente concordante, para a pessoa pensar que você viu mesmo e que dá o mínimo de importância ao que ela pensa. Qualquer coisa como “Claro que vi! Só tu, pá…”, sendo que regra geral ela dá-se por satisfeita e não pergunta mais nada. Outra dica importante: é possível bloquear aplicações. Eu só percebi isso depois de declinar gentilmente 30 alqueires de milho no Farmville, espiga a espiga.

DAR LIKES AOS PRÓPRIOS POSTS

Isto é o equivalente em código binário à masturbação. Não há nada mais deprimente que uma pessoa postar qualquer coisa e verificar que é a única pessoa no mundo que achou interessante. A evitar.

CONCLUSÃO

Tudo o que aprendeu para trás acaba por ser pouco relevante. Em relação ao Facebook, há que reter apenas que os membros da página “Aristocratas” têm todos um pénis gigantesco. O resto são pormenores.

Anúncios

11 responses to “Facebook para Labregos

  • Tangata Manu

    kkkkkkkk. muito bom!!

  • jubilonia

    Dar likes aos próprios posts (…) é o equivalente em código binário à masturbação.

    Concordo plenamente. Apenas acrescentaria que é ainda pior que mera masturbação, é semelhante a masturbação num local público.

  • Laura Helena dos Santos

    Eu penso que isso tudo ainda está numa “fase experimental”. Nunca houve tanta aproximação entre pessoas como a que se verifica através do Facebook! Isso é louvável, tendo em consideração que esta rede social contempla muita gente que vive só ou se isola por motivos vários!
    Creio que, com o correr do tempo, tudo o que foi referido neste “Facebook para labregos” venha a ser revisto e alterado! Por vezes é difícil gerir a liberdade de expressão! Pensem nisso!

  • JGE

    Caro Amigo,
    Tive a oportunidade de ler o seu texto e gostava de trocar umas ideias consigo.
    Primeiro: também partilho q utilizar expressões como face ou conversar sobre posts possa ser algo irritante. No entanto, a palavra “delicioso” tb é algo que me irrita solenemente e eu limito-me a evitá-la.
    Tb concordo, a chuva incessante de gatinhos e cãezinhos e outros afins pode ser deveras irritante. Qt mais n seja, pq à partida a vida q levam é mais fácil (na maior parte dos casos) do que a dos seres humanos, e tb pq nunca vi o meu piriquito a reagir propriamente a nenhum dia da semana em especial. Ademais, quem tem idade p utilizar o facebook, já terá certamente capacidade p saber os dias da semana pela ordem correcta, logo a lembrança constante parece-me desnecessária.
    Enquanto utilizadora do facebook, renuncio aos tais post padronizados, embora admita, posso querer deixar o meu “bitaite” em relação a qualquer coisa que me passe pela cabeça só pq sim. Se posso, why not? Por vezes até chego, imagine-se, e aqui tb me posso identificar consigo a elaborar textos c bases em posts q me irritam solenemente. Nem sempre os publico, mas vale o trabalho de reflexão.
    Quanto às avaliações de nome, confesso, nunca m senti tentada. Quero acreditar q a minha mãe escolheu o meu nome, tendo o bom senso de não me traumatizar e não c o intuito de eu poder mais tarde decompor e atribuir características individuais a cada letra, que, acho eu juntas é q fazem sentido, são um nome.
    Adiante…fotos de perfil…prefiro optar por n por fotos minhas, simplesmente pq p quem me conhece n preciso de relembrar a minha aparência. No entanto, há certamente mt gente q é amante da fotografia ou da auto-promoção e por mim, that’s fine if they’re happy.
    “Gostos” – n se devem discutir, é um facto. E será claramente estranho por gosto num post em que alguém se descreve como deprimido, c tendencias suicidas e acabadinho de levar uma tareia. Já partilhar umas músicas, why not. Fine by me.
    Estado de relação – torna-se estupido publicar este tipo de coisa, e estupidamente já ouvi ou li casos em que isso acabou c relações. Também posso opinar em relação a isto q normalmente quem faz isto é menor de idade, ou simplesmente confunde o facebook c um dating service online, n estando nalguns casos longe da verdade lá está.

    P concluir, depreendo que tb o amigo terá uma página no facebook, já q se nota que é claro conhecedor. Dou-lhe os parabéns pelo texto, é uma sátira q me deu bastante gozo ler. Aos q possam levar os seus escritos a peito, deixe lá, tenho a certeza q foi por isso q o escreveu. :)
    A mim claramente fez-me querer deixar uma resposta e acho isso bastante positivo.
    Uma nota final: pénis gigantescos? N se lembre por favor d adicionar fotos do seu membro no facebook, espero que criem a versão “redface” ou “youbook”, o que poderá tb ter o seu feedback, s se lembrarem d adicionar comments ou um botaozinho “oh yeah, i like it”.

    Com os melhores cumprimentos,

    deixo-lhe o meu comentário e asseguro-lhe a vontade de voltar a visistar esta página.

    JGE

  • CURTO MUMES

    FOTO DE MAMAS. FIXE

  • Gomes Ivo

    muito de acordo com tudo k foi dito pois essa coisa dos caes e gatinhos tbm ja começa a enjoar

  • André Silva

    Obrigado a todos pelo feedback. Passem por cá! :)

  • André Silva

    Para quem ainda não conhece a página, espreitem facebook.com/aristocratas

  • Lurdes Pereira

    Muito perspicaz!!! ;-D

  • Facebook para Labregos 2.0 « aristocratas

    […] vindo a “Facebook para Labregos 2.0”. Antes de mais recomendo a leitura do primeiro  volume da série. A leitura  mas acima de tudo a compra,  pois tenho seis cachopos filipinos para […]

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: